botao voltar

Topoi. Revista de História
Volume 13, Número 25 | Julho - Dezembro 2012



“Eliminar os indesejáveis”: uma lógica de ação para o policiamento dos argelinos em Paris (1944-1962)


Emmanuel Blanchard


Imagem ilustrativa


Um oficial CRS observa suspeitos presos no bidonville d’Argenteuil onde um policial fora morto no dia anterior. Fonte: Cortesia AFP, 19 de julho de 1957, todos os direitos reservados.

 

O artigo trata da relação estabelecida entre imigrantes argelinos na França com o Estado e, sobretudo, com a polícia. Durante os primeiros anos da década de 1940 houve igualdade de direitos entre os “muçulmanos” (argelinos) e os “europeus” (franceses). Cidadãos de pleno direito a partir do momento em que entravam na França, argelinos gozavam de liberdade de circulação entre as duas margens do Mediterrâneo e podiam se instalar livremente na metrópole. Contudo, a partir da guerra de libertação da Argélia houve um aumento da imigração para a França, o que gerou protestos entre os franceses. Do fim da Segunda Guerra Mundial até o término da guerra de independência argelina, a hierarquia policial resistiu ao “mito da igualdade dos direitos”. Impotente diante do fluxo imigratório, a polícia executava uma política de confronto aos “indesejáveis”, qualificativo utilizado para designar as populações argelinas estigmatizadas, cuja presença no espaço público era percebida como um problema.

Palavras-chave: polícia; imigração; relações coloniais; Argélia; França.





“Eliminating the Undesirable”: A Rational for Action on Policing Algerians in
Paris (1944-1962)


The article deals with the relationship between Algerian immigrants, the French State, and particularly the Police. In the first years of the 1940’s, there was equality of rights between “Muslims” (Algerians) and “Europeans” (the French). Acquiring full citizenship at the moment they entered France, Algerians enjoyed travelling freedom between the two edges of the Mediterranean. However, the liberation war in Algeria triggered an increase in immigration to France, generating protests among the French. From the end of II World War to the end of the independence war in Algeria, Police hierarchy resisted to the “myth of rights’ equality”. Impotent to deal with the immigration flow, Police implemented a confrontation policy with
the “undesirable,” i.e., the stigmatized Algerian population in France, whose presence in the public space was perceived as a problem.

Keywords: police; immigration; colonial relationships; Algeria; France.




“Eliminar a los indeseables”: una lógica de acción para el policiamiento de los argelinos en Paris (1944-1962)

El presente trabajo trata de la relación establecida entre emigrantes argelinos en Francia y el estado y, sobretodo, con la policía. Durante los primeros años de la década de 1940 hubo igualdad de derechos entre musulmanos (argelinos) y los europeos (franceses). Ciudadanos de pleno derecho así que entraba en Francia, argelinos tenían libertad de tránsito entre las dos márgenes del mediterráneo y podrían instalarse libremente en la metrópoli. Entretanto con la guerra de liberación de Argelia hubo un aumento en la emigración para Francia lo que generó protestos de los franceses. Del final de segunda guerra mundial hasta el final de la guerra de liberación argelina, la jerarquía policial resistió al mito de la igualdad de derechos. Impotente delante del flujo migratorio, la policía ejecutaba una política de confronto con los indeseables, adjetivo utilizado para designar las populaciones argelinas estigmatizadas cuya presencia en el espacio público era tenida como un problema.


Palabras clave: policía; emigración; relaciones coloniales; Argelia; Francia.



Como Citar:
BLANCHARD, Emmanuel. “Eliminar os indesejáveis”: uma lógica de ação para o policiamento dos argelinos em Paris (1944-1962). Topoi. Revista de História, Rio de Janeiro, v. 13, n. 25, p. 45-53, jul./dez. 2012. Disponível em: <www.revistatopoi.org>.



botao voltar